Minha experiência com Elainne Ourives e outros livros

Vou tentar explicar do começo: eu era uma adolescente de sentimentos complicados que adorava se enfiar na biblioteca do colégio e ler. Um dia, deparei-me com um título que me despertou curiosidade (sendo eu um ser romântico, sonhador e extremamente empenhado em entender e desvendar emoções): Você pode curar sua vida. O livro de Louise L. Hay poderia ter aberto as porteiras do autoconhecimento mas, apesar de já ter feito terapia, lido o livro e aplicado as técnicas da autora, tudo, ainda, era muito inconsciente para mim. Ao terminar o Ensino Médio, prometi a Deus que nunca mais pensaria negativo caso eu conseguisse realizar um grande sonho. Realizei. Mas não consegui cumprir a promessa. Apesar de muito jovem, algo em mim sabia que essas práticas silenciosas de treinamento mental (que muitos, inclusive, seguem via religião e espiritualidade) são importantes para a conquista dos objetivos. Nessa época, toda minha fé na vida resumia-se a longas conversas com Deus a cada vez que eu me auto sabotava sem saber que o estava fazendo. Tudo o que eu entendia de fé era que Deus decidiria tudo por mim independente do que eu estivesse fazendo e a única coisa que eu poderia fazer era conversar com Ele.

Após muito sofrer com o que eu provocava a mim, inconscientemente, já recém graduada no curso de Comunicação Social com Habilidade em Jornalismo, fui apresentada a um livro de um autor que eu desconhecia: Deepak Choppra. Chama-se As Sete Leis Espirituais do Sucesso. Conheço muitas pessoas que se recusaram a iniciar essa leitura por preconceito com o título (que parece uma fórmula mágica de bolo, porém, não deixa de introduzir, com exatidão, o que é o livro). Eu o indiquei inúmeras vezes aos meus amigos porque ele foi um divisor de águas, em minha vida. Ele me ajudou a iniciar a jornada de mudar a mim (e deixar de querer mudar o mundo como fazem os jovens jornalistas foca). Choppra me ensinou que eu faço parte da natureza e que minha vida pode ser fluida como é o funcionamento da natureza. Eu só precisava aprender a seguir as leis que me permitiriam alcançar o poder de atrair a realização dos meus sonhos.

As sete leis espirituais do sucesso
As Sete Leis Espirituais do Sucesso (Deepak Choppra) – Editora Best Seller

Na busca por entender melhor o funcionamento das relações e a psicologia masculina (sendo eu uma hetero que estava tendo problemas com o comportamento dos homens que passavam por sua vida), esbarrei em leituras que me ajudaram bastante como Mulheres que Atraem os Homens e Mulheres que os Afastam, de Connel Cowan, Por que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?, de Allan e Barbara Pease e alguns outros mais, contudo foi em Um Jogo Chamado Amor (um título clássico de trama adolescente), de Robert Sheid, que eu parei. Esse livro me fez acreditar que eu poderia ser, plenamente, feliz. Ele me deu algumas explicações científicas e espirituais que eu desconhecia. Sheid joga no time de Choppra mas era incrível o estudo e a abordagem dele. Ele passa nove capítulos ensinando como ser uma pessoa melhor, mais leve, menos carregada, menos bloqueada para, no décimo, realmente, falar sobre como atrair um grande amor. Ele usa o amor (um tema atrativo para tantas pessoas) para explicar a razão pela qual muitos não conseguem realizar seus sonhos. Sheid não me deixou parar, esse livro criou em mim a vontade de ter minha pequena biblioteca de autoconhecimento para que eu pudesse recorrer a ela sempre que eu precisasse. Eu sabia que, por muitos anos, havia automatizado padrões de pensamento e comportamento dos quais precisaria me libertar. Eu precisava reler muitas vezes para que a minha cabeça desaprendesse o que é ruim para aprender o que é bom.

Em determinado momento da vida, em que nenhum vento bom soprava, eu disse, assim, pra mim: vou aplicar essas técnicas, aqui, desses livros, não me custa nada. Ali, fui entendendo sem entender que uma coisa é a compreensão, outra coisa é a ação. Nós precisamos das duas (mas eu, ainda, não sabia). Contudo, ventos bons começaram a soprar, fortemente. Fui caminhando para as minhas conquistas. Com o passar do tempo, fui começando a ficar sem tempo de meditar, de orar, de ler, de estudar. Eu tinha a sensação de que estava sobrevivendo de uma energia poderosa da qual eu havia me revestido num passado recente. Mas aí o passado começou a ficar distante e a falta de tempo foi se transformando em desânimo e cansaço. Eu estava caindo de novo, voltando para um lugar que eu não queria. Um dia, minha intuição foi abafada pelo meu medo e eu já não mais me encontrava no meio de todas as emoções negativas que ele me trouxe. Fui me perdendo, gradativamente, de quem eu era até perder, de vez e ao mesmo tempo, tudo o que eu tinha (ou achava ter).

Um jogo chamado amor
Um Jogo Chamado Amor (Robert Sheid) – Editora Saraiva

Os bons ventos passaram a não soprar, novamente, e eu me perguntava, frequentemente: por que eu voltei pra cá? Eu, simplesmente, não entendia. Retomei todo o árduo caminho de busca interior que havia realizado, anteriormente, mas eu precisava dessa resposta. O que foi, exatamente, que aconteceu? Deixar de realizar minhas práticas era suficiente para me provocar tantas situações negativas? Foi me abrindo, humildemente, para começar tudo de novo e tentando me envolver com novas abordagens assistindo alguns vídeos, na internet, de terapeutas e treinadores que eu conheci a Elainne Ourives. Na verdade, recebi um vídeo dela no meu Whatsapp e, muito por acaso, eu assisti (pois não costumo assistir tudo que me enviam). Inscrevi-me no canal dela do Youtube e a pus na listinha de canais que gosto de assistir e que falam de autoconhecimento (Paula Abreu, Cecília Dassi, Pamela Magalhães, Alexandra Solnado, Jout Jout Prazer).

A Elainne me salvou de mim e digo isso sem exagero. Na época em que a conheci, ela estava lançando uma websérie gratuita, em sua página, de cinco episódios. Cada episódio durou cerca de duas horas e, muito por acaso, eu assisti (pois não costumo parar tanto tempo em vídeos da internet). Durante as aulas dela e diante do compromisso que eu estava reassumindo comigo, fui me identificando até que ela me deu a resposta que eu precisava: a Elainne me ensinou que não adianta ativar pensamento positivo e outras técnicas se o meu sentimento estiver me sabotando. Era isso. Através de uma abordagem diferente de todas as outras que já vi (pois seu embasamento está na Física Quântica e na Neurociência), eu passei a entender, não só de maneira espiritual como científica, que o meu processo de limpeza (que é a primeira etapa de qualquer cura e realização dos sonhos) foi incompleta. No momento em que parei de dar continuidade ao meu processo de prestar a atenção em mim e me libertar das emoções que me fazem mal, resquícios de lixo interior se avolumaram e trouxeram de volta tudo o que lutei tanto para eliminar. Por isso, acontece de conquistar e perder tudo. É necessário continuar limpando, limpar tudo, vibrar com o universo, com Deus, estar sólido nesta escolha, neste estado, nos sentimentos bons.

Elainne Ourives
Elainne Ourives. Foto: facebook.com/elainneourives

A Elainne explica sobre limpeza, sobre frequência, sobre reprogramação e programação da mente. Aqueles cinco episódios reacenderam em mim, a chama da coragem. Reiniciei, com gosto, todas as práticas nas quais eu acreditava. Agora, eu sabia que tudo aquilo tinha comprovação científica, também. Eu sabia (e sei) que Deus está em tudo aquilo. A Elainne faz tudo isso com muita convicção e como pessoa humana que se coloca no lugar de entender o outro pois ela, também, já esteve em situação muito difícil, na vida. Tive a oportunidade de vivenciar as técnicas que, generosamente, ela aplicou no final de cada vídeo e tive experiências emocionantes e fantásticas. Eu quero me consertar e tenho, muito claro dentro de mim, a indicação de um caminho. Acredite: é muito difícil lidar com uma pessoa que você aprendeu a ser, sem perceber, por muitos anos, sabendo que quem você é, de verdade, precisa do seu esforço e da sua dedicação para aflorar. Eu sou o tipo de pessoa que precisa muito disso para ser, verdadeiramente, feliz.

Os vídeos da websérie não estão mais disponíveis no canal da Elainne. Ela abriu inscrições para um curso fechado onde ela ajuda seus alunos, através de suas técnicas, a alcançarem seus objetivos. Chama-se Holococriação de Objetivos, Sonhos e Metas. Eu não fiz o curso mas não tenho medo de indicar pois pude ter a certeza de que ela realiza um trabalho incrível, com responsabilidade e amor. Conheço poucos profissionais que liberam informações valiosas em conteúdo gratuito e ela é um deles. Não conheço a Elainne, pessoalmente, e ela nem sabe que eu existo mas, pelo bem que ela me fez, o mínimo que eu posso fazer é escrever sobre ela e dizer para quem chegou até aqui, na leitura deste texto (obrigada!), que se você se inscrever neste curso e praticar as técnicas com vontade de vencer na vida, muitas coisas irão mudar.

Clique aqui para conhecer o canal da Elainne.

7 Comments

  1. Muito obrigada pelo seu depoimento. Partilho na íntegra o que disse sobre a Elainne Eurives. Também não a conheço mas o trabalho dela tem me feito evoluir de uma forma incrível. Ela tem um dom extraordinário!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s