Querido, aprenda a ser alguém melhor

Eu me afastei de ti. Eu te afastei de mim. Não porque eu quisesse, mas porque não me restou outra escolha. Eu precisei escolher entre eu e tu. Estar perto de ti significava não me dar o mínimo valor. Não conseguindo controlar meus sentimentos, minhas atitudes e minhas expectativas, eu, sempre, caía na tua armadilha. Durante anos, não enxerguei o quanto tu pioravas a situação. Alimentavas meus sentimentos, sutilmente, fazias isso por prazer, pelo teu ego. Depois, criavas a distância me enlouquecendo. Estive pensando que não preciso disso. É lembrar disso que me faz criar forças para não voltar atrás, apesar das investidas que destes, depois disso.

Querido, aprenda a olhar as pessoas. Não preciso dizer que o mundo não gira ao teu redor. Desapegue desse teu jeito imaturo, egoísta e inconsequente de magoar os outros. Desapega da tua mania de se colocar no papel de vítima. Desapega da tua covardia, do teu costume de fingir que está acontecendo nada, que fizeste nada. Pois, se corres atrás, é porque sabes que feriste em nome do teu ego. Aprenda a olhar para quem és de verdade. Perca o medo de fazer o mergulho profundo ao teu interior. Enfrenta teus medos, aprimora tuas qualidades, aprende a entender-te, a amar-te porque, somente assim, enxergarás o coração das pessoas e poderás te colocar no lugar delas. Somente assim, vencerás teu egoísmo, tua cegueira em não saber fazer outra coisa que não pensar em ti mesmo.

Por vezes, divago na dúvida de estar ou não fazendo a coisa certa. Por vezes, me pergunto se terás argumentos para me acusar. Por certo que sim. Eu estaria sendo madura se não me incomodasse contigo, com as notícias que me levam a saber de ti, com os pensamentos que me levam a ti, com a tua presença, com a minha mágoa. Eu, também, não quero para mim o papel de vítima. Se, ainda, não me sinto à vontade para olhar para ti e cumprimentar-te, normalmente, é porque preciso proteger-me. Doeu tanto que fiquei frágil. Doeu tanto que me fechei. Mas, sei que, se a situação chegou a este ponto, foi porque permiti. Eu enxerguei o que estava acontecendo mas não quis acreditar, não quis tirar-te do pedestal onde eu o havia colocado.

Ao me colocar distante, reafirmo para mim que não sou mais aquela mulher, não permito mais que me enganes e me magoes. Mas, sei que tudo isto só estará por findado quando eu for indiferente a ti e ao que quer que seja que venha de ti. Rogo a Deus pelo alcance desse perdão profundo e pelo desejo sincero de que sejas feliz. Por vezes, sinto, sim, a tua falta. Falta de conversar, falta de brincar, de rir e me pergunto: por que escolhestes me magoar tanto?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s